ADS 468x60

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

CARTA AO TORTURADOR CORONEL KLINGER SOBREIRA DE ALMEIDA. ( AOS CUIDADOS DA COMISSÃO DA VERDADE EM BRASÍLIA)

Estamos na primavera. Tem uma frase de Ernesto Che Guevara que diz: " Os poderosos podem destruir uma, duas ou até três rosas, mas jamais poderão deter a primavera". Dizem Coronel, que a primavera é um tempo de flores, paz, harmonia. Uma verdade para todos, menos para mim que ainda, infelizmente, carrego as sequelas das perseguições, prisões e torturas sofridas por meu pai Walter de Oliveira Tim Garrocho nos porões da ditadura militar.
Sabe Coronel, não sei a idade do senhor. A minha eu sei. O senhor e sua turma de torturadores conseguiram com barbaridade ao torturar meu pai e consequentemente nossa maravilhosa família, envelhecer o meu corpo físico e também o meu espírito de jovem cheio de esperança na vida. fui abandonado por amigos, não fui aceito em escolas, abandonei a vida, abandonei tudo.
Fui, na verdade Coronel, um andarilho sem rumo. Dormi muitas vezes pelas sarjetas dos becos e ruelas sujas da minha pátria Brasil. Muitas vezes perdido num mundo de contradições, cheguei ao ponto de não ter noção do tempo, quem eu era e para onde ia. Ainda assim, cambaleando pelo mundo, eu sentia que uma pequena luz interior clareava o fundo do poço, aliás, o fundo da minha alma em retalhos.
Ainda que desencontradas minhas atitudes e palavras no início da minha solitária luta contra o regime de  opressão, a pequena luz me orientou e passou a iluminar meus protestos contra o senhor e sua nojenta ditadura militar no Brasil. Andei por minha pátria e onde fui, levei todo o nosso repúdio a ditadores e torturadores como o senhor e sua turma de tiranos.
Eu, meu pai, minha família comemos "o pão que o diabo amassou". Fomos torturados de todas as formas possíveis. Até hoje não esqueço as palavras de discriminação: "Vocês são sujos", "Vocês são comunistas", Vocês não existem mais", "Seu pai, matou quantos?" e centenas de outras frases que marcaram a minha alma e deixaram cicatrizes profundas.
Sabe Coronel, eu, assim como meu pai e nossa família ainda vivemos. Ainda, graças a Deus, o Arquiteto do Universo, nós respiramos e a cada dia que amanhece sentimos que o Arquiteto do Universo tem um propósito de vitória para todos nós. Ao contrário do senhor Coronel, nós podemos dormir com a consciência tranquila. Ainda que com nossos rostos que o senhor e sua turma de tiranos transformaram em " rostos parecidos com maracujás secos", um sorriso, uma esperança brota em cada um deles através de nossos filhos e netos. Assim, a Comissão da Verdade surge para nós como uma flor na imensa primavera da justiça e da democracia da pátria que queremos para todos nós. Primavera esta que torturadores e ditadores da ditadura militar no Brasil, covardes como o senhor, não conseguiram  e nunca vão conseguir destruir. Tortura e ditadura nunca mais!!!

Autor:Walter Teófilo Rocha Garrocho(Téo Garrocho)- Texto dedicado aos membros da Comissão da Verdade no Brasil, a todos que foram perseguidos, presos, torturados e mortos pela ditadura militar e ao meu pai; Walter de Oliveira Tim Garrocho, ex. preso político no Brasil. Texto escrito em 03/10/2013, Barbacena-MG.

2 comentários:

ALEXANDRE1978 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Leo Tromp disse...

O cara começa citando o facínora Che Guevara e vem criticar ditadura, ahhh me poupe, hipócrita!!!

Postar um comentário